Minimalismo na decoração

Não tem nada como um espaço organizado, naquela sensação de ordem, de que tudo funciona e que as coisas estão bem!

Apesar de alguns cientistas sugerirem que as pessoas mais inteligentes tendam a ser bagunceiras, estudos mostram também que mulheres que vivem em ambientes desorganizados, tendem a ter níveis mais altos do hormônio cortisol, o principal responsável pela resposta de estresse no corpo! Nós que sempre estamos ocupados, chegando em casa tarde e acordando cedo, não temos tempo de arrumar tudo, deixar tudo em ordem e ainda ter a disciplina de não desarrumar.

Calma! Existe uma solução, adote o minimalismo!

Prontos para deixar de escovar os dentes com escovas de dente e não ter cadeiras? Não??? Ótimo! Porque o minimalismo não é nada disso, também não é abandonar as coisas materiais, viver de amor e vender arte na praia, mas é se livrar de coisas supérfluas ou coisas que tem pouca importância para você.

Organize suas superfícies

Primeiramente, pra começar a desentulhar a sua casa é importante começar pelas superfícies como bancadas, mesas de jantar e de centro, criados mudos etc… Ajuda também, organizar pilhas de papéis, lixinhos, chaves, coisas puramente decorativas (por exemplo, centros de mesa decorativos do aniversário do sobrinho, que agora não serve propósito nenhum na sua mesa de jantar). Se pergunte o que você pode jogar fora e o que pode ser guardado fora do campo de visão? Mas tem que ser honesto!

e851a49984647e39c51c50bc30947a16

Fonte: Pinterest

Para chegar naquele aspecto bem minimalista, se use poucos itens de decoração, reflita bem o seu propósito e como ele irá/se vai conversar com o resto da decoração! Você com certeza você dará muito mais valor para cada peça decorativa, porque esta vai estar lá porque você quis, não porque teve que colocar lá.

Crie uma base neutra

Ao criar um ambiente classicamente minimalista, as cores vem à tona. Naturalmente sempre somos atraídos por cômodos brancos, mas nem tudo precisa ser como o interior de um ovo, mas usar  tonalidades leves de amarelo tendem a deixar a tinta com um look mais quente e cremoso, ao mesmo tempo os tons de azul tendem à um aspecto mais nítido e sóbrio. Logo, ambientes com luz natural tendem a parecer mais quentes, com isso usa-se um tom de branco mais frio. Porém, se o espaço é iluminado com LED ou lâmpadas fluorescentes, que são luzes frias, a tonalidade a ser usada seria um branco mais quente.

f2acdec5e0b35784ec7c0e2029b63415

Fonte: Pinterest

Utilização de cores no estilo minimalista pode ser bastante sutil com pigmentos sólidos, que não agridem os olhos e vão bem com tons neutros como tonalidades terrosas de marrom, azul, bronzeados, verdes e em alguns casos patina.

Escolha qualidade em vez de quantidade

O desafio de trabalhar com poucos itens é que o pouco que você escolher, vai trazer um impacto grande no ambiente. Cada item tem que ser pensado e medido cuidadosamente antes de entrar na sua casa. O objetivo é criar um espaço que as pessoas vão gostar de estar e vão se sentir confortáveis, porém muita gente confunde minimalismo com viver sem nada, ou seja, deixar de comprar uma cadeira e sentar no chão pelo simples fato dela se sentir obrigada a não comprar nada.

Neste caso, dê preferência a comprar algo um pouco mais caro, mas que vá durar anos, que comprar algo barato e que não vá passar no teste do tempo, ou seja,  vai perder a sua cor, textura, vai quebrar facilmente, dando mais dor de cabeça para você. Meu pai ilustra isso muito bem com a frase “é o barato que sai caro…”. Sem contar que itens duráveis são muito melhores pra natureza e pros lixões que não aguentam receber mais nada!

A filosofia de entra um sai um

É impressionante o quanto uma pessoa pode comprar em um espaço curto de tempo. As gavetas, prateleiras, banheiro, criado mudo, armário que uma vez eram vazios hoje não suportam um alfinete a mais! Esse monte de coisa atrapalhando e entulhando a sua casa! É… Tá na hora de limpar essas gavetas e armários!

8c7af4e74b03932ebdc14a5f1ad8febe

Fonte: Pinterest

Pra prevenir esse dilema de acontecer , a Coleen Madsen criou a regrinha “entra um, sai um”. Pra cada item que você comprar um tem que dar espaço para o novo. Ela diz “O item que entra, não precisa se igualar ao que está saindo, ainda que para fazer diferença ele tenha que ser do mesmo tamanho, ou melhor, maior”. Ela continua dizendo que “Geralmente acontece deles serem itens similares porque normalmente você está substituindo um por outro”.

Use texturas diferentes mas tons similares

Um ambiente minimalista com tons neutros tende a ter um aspecto frio ou sem sal, mais conhecido como nhé… Maaas tem um truquezinho infalível: textura! Dá pra por um salzinho com tricotados, travesseiros com miçangas, tapete de pele de carneiro ou décor de veludo. Mas tudo isso deve ter usado com muito cuidado, sinta-se a vontade para usar isso em lugares estratégicos, sempre lembrando de que eles devem estar na mesma “família” de tons, se o quarto é aquele branco mais frio, o look da decoração tem que ser mais frio.

74c24bc294c1830ed1f5f412768bb266

Fonte: Pinterest

Claro você pode misturar muitas texturas, muitos materiais e superfícies de cores diferentes, se você for um entusiasta de enxaquecas. Mas se você usar uma base branca e optar por branco, bege, cinza-claro, tons bronzeados ou qualquer cor que a natureza nos apresenta. Normalmente, essas cores se misturam muito bem entre si na natureza! Essa pode inclusive ser a sua inspiração!

Invista em modos estilosos de armazenamento.

Ok, vamos lá: você desentulhou sua casa toda, fez o “entra um e sai um”, escolheu qualidade em vez de quantidade, mas tem mais coisa pela frente. Comprando móveis de armazenamento (cômodas, criados mudos, armários etc..), bonitos e que combinem com o estilo da sua decoração, você consegue guardar o caos da sua vida ou mascara-lo! Isso é ótimo também pra quem gosta do estilo minimalista de decoração, mas é um maximalista! Você não precisa deixar de ser um comprador, mas tem que deixar de ser um acumulador.

Simplifique-se

Agora você sabe todos os passos pra decorar uma casa no estilo minimalista! Mas é importante frisar que minimalismo é uma filosofia de vida, onde o supérfluo é descartado e você deve manter tudo o mais simples possível. Importante também é dizer que, superfluidade é um conceito muito individual, o que é supérfluo para você pode não ser pro outro, é importante saber isso no momento de se desfazer dos seus pertences.

Quando se trata de projetar um ambiente minimalista, lembre-se sempre de dar um passo de cada vez. Depois disso tudo, é só aproveitar a sua decoração minimalista, sem entulho, pacífica e calma. É bom, né?

 

 

4b25b1322750e50ccaf57edf86e7167f

Fonte: Pinterest

>>>> Este texto foi escrito por Daniel Figueira, quer contribuir para o nosso blog? Escreva para a contato@archie.com.br e divulgue seu texto conosco!